Por Kyungmee Lee é professora de Promoção de Aprendizado via Tecnologia da Universidade de Lancaster, no Reino Unido.

Desde o início do isolamento social como medida para conter a disseminação do coronavírus, um número crescente de escolas e universidades do mundo todo está desenvolvendo um movimento exclusivamente online. Milhares de professoras e professores estão ocupados com o trabalho de transpor suas aulas presenciais para o formato online e a adaptação desse conteúdo requer muito tempo e esforço.

Neste momento, entretanto, o que precisamos é justamente de praticidade, por isso compartilho 14 conselhos que costumo utilizar nas minhas aulas para melhorar a sua prática do ensino a distância.

1. Grave suas apresentações, não as transmita ao vivo

Se os alunos não estiverem se sentindo bem ou a conexão com a internet tiver algum problema, os estudantes ficarão perdidos numa apresentação ao vivo. Grave os vídeos em sua casa e deixe-os à disposição dos alunos para assisti-los conforme o tempo de cada um.

2. Mostre seu rosto

As pesquisas demonstraram que as aulas em vídeo em que os rostos dos professores aparecem são mais bem aproveitadas do que as apresentações narradas só com slides. Combine os slides com um vídeo em que você apareça.

3. Faça vídeos curtos

Os vídeos com mais de 15 minutos podem causar problemas, como downloads lentos ou mesmo distração. Se tiver muito a dizer, grave dois ou três vídeos curtos.

4. Teste os slides

Muitos estudantes podem estar assistindo as aulas pelos celulares. Não deixe de testar os slides num celular antes de gravar as aulas, para que todo o texto possa ser lido e adaptado a telas pequenas. 

5. Utilize os recursos existentes

Não é realista esperar que você, por conta própria, produza vídeos de alta qualidade num curto espaço de tempo. Reaproveite material que já foi desenvolvido previamente e que está disponível online, compartilhando os links com os alunos.

6. Confirme se o acesso é liberado

O uso de recursos abertos ajuda a evitar problemas de acesso. Se algum dos recursos sugeridos não estiver acessível, sua caixa de entrada ficará cheia de mensagens dos alunos e você perderá muito tempo para resolver essas questões técnicas. Alguns minutos a mais dedicados à busca de materiais com acesso totalmente livre pode evitar mais uma dor de cabeça.

7. Dê instruções específicas

Quando você recomenda recursos online com duração maior do que 15 minutos, os alunos podem se atrasar ou dispersar. Em vez disso, indique as partes exatas do vídeo de que precisam ser vistas (por exemplo, do minuto 13’35 ao 16’28); isso pode, inclusive, deixar os alunos mais curiosos. Quando recomendar mais de um vídeo, indique a ordem que os alunos devem seguir ao assisti-los.

8. Proporcione atividades interativas

A maioria dos sistemas de gestão do aprendizado, como Moodle, Edmodo e Blackboard, incluem uma variedade de funções para criar atividades didáticas interativas, tais como questionários. As instruções passo a passo online podem ser encontradas facilmente. 

9. Estabeleça expectativas razoáveis

Quando criar questionários, tenha certeza de que todas as perguntas podem ser respondidas a partir dos conteúdos didáticos oferecidos. Quando pedir aos alunos para escrever um resumo dos vídeos das aulas, deixe claro que tipo de avaliação fará daquele material, para obter melhores resultados e respostas dos alunos. Um conjunto de 15 perguntas de avaliação ou um limite de 300 palavras são o suficiente para manter os alunos envolvidos por 30 minutos.

10. Use a verificação automática para acompanhar a assistência

Se disser aos alunos que a assiduidade será medida pela participação num questionário, aumentará os respondentes. Mas não haverá tempo de verificar todos, portanto, use as funções de verificação e qualificação automáticas dos sistemas de gestão de aprendizado.

11. Use a comunicação em grupo com cuidado

A comunicação em grupo não deve ser usada para o ensino direto. Em vez disso, configure “horas de oficina virtual” numa ferramenta de videoconferência, como o Zoom, Hangout, etc. Inicie a sessão na hora combinada e espere pelos alunos. Concentre-se em dar apoio social e verificar se há alguma problema que precise ser abordado imediatamente. Essa pode ser uma ótima maneira de aproveitar os comentários dos alunos sobre o ensino online também. Deixe que esses encontros sejam opcionais. Caso ninguém apareça, não se frustre: os alunos ainda se sentem felizes por saber que essa opção está disponível.

12. Deixe que os alunos assumam o controle

Você pode criar espaços online para pequenos grupos de alunos e pedir que se apoiem e conversem entre si antes de enviar mensagens de email diretamente para eles. Publique um par de perguntas para ajudá-los a quebrar o gelo e começarem a conversar. Estimule-os para que decidam sobre a ferramenta de comunicação que preferirem. Alguns grupos irão bem, outros não, mas esse pequeno conselho pode fazer com que os alunos se sintam socialmente apoiados e diminuam a quantidade de emails que enviam para você.

13. Não esconda os sentimentos

A abertura emocional dos professores online é uma grande estratégia de instrução. Diga aos seus alunos que é a primeira vez que dá aulas a distância e que está aprendendo ao mesmo tempo que ensinando. Peça ajuda explicitamente, garantindo a todos que fará o melhor possível para apoiar o aprendizado deles também. Serão compreensivos, já que compartilham as mesmas emoções, e você estará pronto para o êxito.

14. Repita

Alunos online não gostam de mudanças frequentes no estilo das aulas, eles ficarão à vontade com a repetição do mesmo tipo de estruturas e aprendizado. Uma vez que você chegue a um estilo que funcione bem para você, sinta-se livre para repeti-lo a cada semana até a volta às aulas presenciais.