Cinthia Rodrigues. Cocriadora e coordenadora do Quero na Escola, filha de professora, mãe de alunos da rede municipal de São Paulo, conselheira escolar e jornalista especializada em Educação. Trabalhou em jornais, sites e revistas, como Nova Escola Carta Educação. Busca levar mais pessoas a participar da educação pública.

A participação ativa da sociedade na Educação pode começar on-line. Embora seja fundamental ir pessoalmente às escolas para perceber o contexto e fazer uma atuação realmente colaborativa, a internet pode ajudar com passos importantes para se preparar. Aqui vão endereços de sites e grupos com discussões, inspirações em projetos e a visualização de oportunidades para ajudar.

1. Quero na Escola

O site do Quero na Escola tem um cardápio pronto de escolas com convites para participar em todo o Brasil. Para enviar uma proposta, é preciso poder atender a um dos pedidos feitos por jovens que já manifestaram interesse em aprender algo além do currículo escolar. Entre final de julho e outubro, há uma versão com as necessidades dos educadores.  Além do site, as redes sociais do projeto funcionam para informar sobre novos pedidos, mas também mostrar os encontros promovidos e as múltiplas possibilidades de colaboração.

 

2. Grupo Novos diálogos da escola pública

Para familiares de estudantes ou educadores que queiram dialogar com mais famílias sobre os processos democráticos nas escolas, o grupo Novos diálogos da escola pública é um espaço movimentado de conversa franca (e muitas vezes quente). Entre os 2 mil membros, a concentração maior é de participantes de São Paulo e envolvidos na Educação Infantil, mas há diversidade.

 

3. Porvir

O site que nasceu há seis anos para falar de como as tecnologias poderiam fazer parte da Educação, dá espaço para educadores mostrarem suas experiências e tem escutado jovens sobre como veem suas escolas. Os materiais especiais são bastante interativos e didáticos.

 

 

4. Caindo no Brasil

Fundado por Caio Dib, jovem jornalista que saiu da redação para percorrer o País conhecendo escolas, o site Caindo no Brasil tem acrescentado, além destas histórias, oportunidades de trabalho e participação em projetos educacionais e calendário de eventos sobre o assunto.

 

5. Acervo Paulo Freire

Fundado pelo próprio Paulo Freire, poucos anos antes de sua morte, o Acervo Paulo Freire é o espaço de acesso à obra e leituras do patrono da nossa educação e uma das figuras mais respeitadas da área no mundo. Pelo site é possível consultar todos os títulos e no espaço há também formações.

 

6. Centro de referências em educação integral

Pautado em um conceito de educação integrada com o espaço e a comunidade, a plataforma traz materiais inspiradores e discussões necessárias para quem quer acompanhar políticas públicas e projetos sobre o tema. Os “materiais especiais” são um bom ponto de partida.

 

7. Comunidade reinventando a educação

A Comunidade reinventando a educação é um grupo de educadores que faz cursos presenciais e on-line, tanto pagos para a comunidade em geral quanto de graça em escolas públicas, com a participação de jovens e professores de outras redes.

 

8. Emef Amorim Lima

A Escola Municipal de Educação Fundamental Amorim Lima, além de ser um projeto democrático, tem um site inspirador para quem quer dar passos nesta direção. Todos os documentos que nortearam as mudanças na unidade e as novas parcerias são relatados por familiares que participam de uma das comissões, a de Comunicação.

 

9. Programa Myra

O Programa Myra promove encontros entre voluntários e estudantes indicados pela escola para leituras compartilhadas. O mesmo voluntário se encontra sempre com a mesma criança para estabelecer vínculos que podem ir além de desenvolvimento da habilidade leitora.

 

10. Virada Educação

Uma vez por ano, a participação ampla da sociedade nas escolas públicas e territórios educativos se torna visível com a Virada Educação. Debates, intervenções, aulas públicas e apresentações ocorrem simultâneamente em vários espaços de diferentes cidades. É possível tanto propor atividades, quanto participar da programação como visitante.